Paz e entendimento por meio de viagens e hospedagem

Paz e entendimento por meio de viagens e hospedagem

domingo, 19 de novembro de 2017

Semana Internacional do Servas 2017


O Servas Brasil participou da segunda edição da Semana Internacional do Servas, comemorada de 16 a 24 de setembro de 2017, com destaque para celebrar o Dia Mundial da Paz registrado em 21 de setembro.

Esse ano o tema das comemorações simultâneas pelo mundo afora foi “Preparando a celebração dos 70 anos do Servas que será em 2018”.
O objetivo central do projeto é que os servianos se conectem, realizado atividades em seu grupo e com outras pessoas e organizações afins, com o propósito de difundir os valores do Servas e fomentar a paz.

Vários grupos em nosso país se mobilizaram e realizaram atividades de acordo com as suas possibilidades como podem ver nos relatos a seguir:


Servianos mineiros reuniram-se dia 16/09 na casa de Juvenil em Divinópolis para um almoço em comemoração à Semana Internacional do Servas.
Além de confraternizar entre servianos e convidados houve uma produtiva conversa sobre o Servas que resultou em quatro novas filiações. Que esses novos companheiros sejam bem vindos à nossa organização e que possam vivenciar boas experiências.




Na região sul de Minas Gerais, na localidade de Jaguari de Cima, município de Camanducaia, servianos e convidados reuniram-se no dia 17/09 e realizaram uma meditação pela paz. Segundo os participantes foi um momento muito especial em meio a natureza. Que outras inicitivas como essa possam ocorrer em qualquer época em muitos lugares contribuindo assim para a paz no mundo.



O Servas Bahia também se fez presente na Semana Internacional do Servas reunindo-se dia 17/09 para um almoço em Salvador. O primeiro item da pauta foi lembrar o Dia Mundial da Paz registrado em 21/09, saudando a fraternidade, a tolerância entre os povos e os princípios do Servas comprometidos com a paz universal.
Na sequência o grupo conversou sobre a organização do Encontro Nacional e de Jovens que aconteceu em Salvador, de 02 a 05 de novembro de 2017.
Oito servianos estiveram presentes no almoço de confraternização e trabalho em prol do Servas.



Em Santo Antonio de Jesus na Bahia, aconteceu uma Caminhada Ecológica+Paz+Floresta. Em registro ao Dia Mundial da Paz e Dia da Árvore, comemorado em 21 de setembro. Cinco servianos da Bahia em parceria com o Colégio Antonio de Jesus e o Grupo Gana realizaram uma caminhada ecológica sobre a paz, quando o Servas foi apresentado, contemplar as árvores, plantar novas mudas e oportunizar a construção de novas amizades.



Servianos de Petrolina e convidados reuniram-se em 16/09 para celebrar a Semana Internacional do Servas e Dia Mundial da Paz. Assistiram a um filme relacionado ao tema e a conversa girou em torno dessa questão. A anfitriã Teresa Roberta preparou uma gostosa comida mexicana para os servianos e convidados presentes.



Servianos de Recife e Olinda participaram da Semana Internacional do Servas realizando um encontro no litoral sul de Pernambuco, na Praia de A-ver-o-Mar, município de Sirinhaém de 22 a 24 de setembro, com a presença de 11 pessoas.



Foram dias de convívio fraterno, troca de experiências, discussões sobre o Servas e o Encontro Nacional e celebração da amizade.

Após o almoço do dia 22 foram passados informes sobre a organização do Encontro Nacional e de Jovens em Salvador de 02 a 05 de novembro. Algumas pessoas presentes já confirmaram a sua participação.

Na sequência foi apresentado o Programa Making Connections e suas possibilidades de intercâmbio. O assunto suscitou a discussão sobre o que o Servas Pernambuco poderia oferecer para ser incluído.


No sábado, dia 23, após o café da manhã, o grupo se dirigiu para o jardim da casa onde houve uma dinâmica com o objetivo de exercitar a paz interior e também uma forma de expressar a participação no Dia Mundial da Paz.

1 – Exercitar a paz interior através da gratidão, do silêncio e da respiração profunda.
- Agradecer ao universo e a natureza;
- Silenciar a mente, escutando os sons ao redor;
- Inspirar e expirar lentamente;
- Escutar atentamente os sons da natureza ao redor.

2 – Depoimentos (sentimentos e histórias pessoais relacionadas) Esse momento foi muito significativo; todos falaram do seu sentimento e de como a paz se incorporava ao seu cotidiano e como atuar no mundo, tendo um olhar voltado para a Paz que desejamos.

3 - Reflexão sobre a paz no mundo

4 – Dança de energização (utilizando exercício da bioenergética)
Após essa importante dinâmica o grupo fez um passeio de barco, parando nos bancos de areia que se formam quando a maré baixa. Todos tomaram um banho de lama que as pessoas do lugar dizem ser medicinal.




No retorno o grupo degustou um delicioso churrasco no almoço.

À tarde houve nova reunião de trabalho quando o grupo discutiu levar ao Encontro Nacional proposta para que os encontros nacionais aconteçam de 2 em 2 anos. Porém considera importante que a gestão se reúna anualmente para discutir e encaminhar questões internas. Dessa forma o encontro com todos os membros ficaria mais leve, com menos questões burocráticas, que tenha como foco o relato de experiências de viagens, convivência, passeios etc.

Quanto aos programas Making Connections e Projetos pela Paz, o grupo discutiu a possibilidade de desenvolver um trabalho que avance no sentido de não ser meramente assistencialista mas transformador.

Passamos mais uma agradável noite com muita conversa e jogos. No domingo de manhã após o café foi hora das despedidadas desse encontro que deixou saudades. Concluímos que esse tipo de encontro é muito importante para fortalecer a amizade e manter o Servas vivo e atuante. Que venham outros!!!




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Relato de Carmen Pardo, de Servas Chile, sobre su Servas Language Experience (SLE)


Queridos amigos y amigas de Servas, vengo a contar mi maravillosa experiencia de intercambio organizada por Servas Brasil y patrocinada por Servas Chile en abril de 2017. Este viaje para mi significo muchísimo, ya que conocí el lugar donde yo nací en Niteroi – Brasil. Fue una inmensa emoción llegar a la ciudad donde mis padres vivieron y estudiaron.

Este viaje se gestionó en un encuentro de Servas V Región, Valparaíso. Agradezco a la directiva de Servas Chile su apoyo y hacer posible este maravilloso viaje a mis raíces a través del programa SLE, Servas Language Experience. Este intercambio me permitió conocer Niteroi y muchos lugares maravillosos de Brasil y estuve con miembros de Servas Brasil encantadores.

Mi nombre es Carmen Pardo González , pertenezco a la organización de Servas Chile, en la cual llevo ya unos 18 años de anfitriona en Valparaíso. Como les comentaba, el presente año viajé a Brasil en el marco del SLE y mi llegada a Brasil fue el 3 de abril del 2017. A continuación les relato las ciudades que visité y las maravillosas personas que conocí.

1. Río de Janeiro

Mi primer destino fue Rio de Janeiro dónde conocí a la Señora Yara Silva, quien fue mi guía de día y me llevo a muchos lugares tales como:

- Cinelandia
- Niteroi, cruzando la bahía de Guanabara (con la emoción de conocer el lugar dónde nací)
- La facultad de odontología de Fluminense
- El mercado
- Museo del mañana.
- El edificio del arquitecto Nyemeyer.


Luego la señora Yara me llevó con mi anfitriona de Río de Janeiro, Alice, que me acogió en su casa por 3 noches y 3 días y con ella conocí lugares hermosos tales como:

- Casa de la Cultura
- Centro de Río de Janeiro
- Conocí el barrio de las linyeras
- Conocí los murales de cobra
- Cristo Redentor



Uno de esos días Nilda fue mi guía (day host) en Rio de Janeiro y con ella conocí:

- Conocí el edificio de H. Stern donde elaboran joyas y piedras preciosas
- Recorrimos la playa de Ipanema hasta Leblon
- Fuerte de Copacabana

Luego partí con Yara mi viaje, quién me llevó a su casa que se encuentra en Barra de Tijuca. Ella me llevó a conocer la playa cerca de su casa, y al otro día me llevó al aeropuerto para seguir rumbo a Recife, donde siguió mi hermoso viaje.

2. Recife

Llegando a Recife, Estado de Pernambuco, me reciben Edna y Sissi, y me llevan a la casa de Luciléa donde me tenían preparada una linda recepción de bienvenida. Me dió mucha emoción conocerlas , compartimos una linda tarde probando sus comidas típicas.


Mi primera Host en Recife fue Socorro Aragão con quién salimos de paseo a João Pessoa, Estado de Paraíba, un balneario muy bonito en el que nos encontramos con la señora Maria da Guia, quien también fue mi Host. Con ellas conocí la playa Tambaú y centros de artesanías del lugar.

Al día siguiente salimos a la playa do Jacaré, donde se hace una ceremonia de la puesta de sol, después nos subimos a un catamarán y seguimos conociendo el lugar visitando los locales de artesanía.

Mi Host siguiente en Recife fue Elda Madruga con la cual pase dos días visitando los siguientes lugares:

- La playa
- Recife histórico en vehículo
- Caminata nocturna por la playa

Me encontré con el grupo para ir a la Pasión de Cristo que quedada a 5 horas de Recife. El espectáculo fue muy impactante para mí ya que es al aire libre y está muy bien organizado y disciplinado, es vivir el camino de Jesus Cristo en sus últimos días.


Luego de la actividad de la Pasión de Cristo mi siguiente ciudad fue Olinda, donde la señora Lindinaura que fue mi host y guía. Con ella compartimos lindos momentos y me llevo a:

- Olinda Antiguo
- Taller de Danzas Circulares
- El museo de los muñecos gigantes


- Centro culturales de artesanos de la zona
- Rio Formoso donde fuimos a un paseo familiar


- Porto de Gallina decorado con gallinas y Tamandaré, playa muy grande



Mi siguiente Host en Olinda fue la señora Noemi, quién fue muy gentil conimgo. Allí mi day host fue Tiberio quien me llevo a la facultad de Foca, donde conocí estudiantes de tercer año de letras y fue muy emocionante ya que ese día yo estaba de cumpleaños y ellos me cantaron y celebraron conmigo y quede de acuerdo para ir el otro día.

Al regresar a la casa de la señora Noemi en la tarde me encontré con la sorpresa que empezaron a llegar las señoras de Servas Recife y Olinda para celebrar mi cumpleaños. Fue muy emocionante y les agradezco mucho la organización y la buena onda.


Al día siguiente me pasó a buscar Tiberio y me lleva a conocer el museo (las oficinas) de Francisco Brennand, artista escultor. Es un parque lleno de esculturas, un lugar increible, y volvimos a ir la facultad de foca y un grupo de estudiantes se ofreció a acompañarme en un nuevo paseo por Olinda Antiguo, en el que conocí bellas iglesias antiguas:

La señora Vera fue mi siguiente Host, y con ella conoci:

- el centro histórico de Olinda
- museo de Frevo en Recife
- museo de muñecos
- recorrimos el canal que junta el rio con el mar
- paseo en bote por rio mar
- esculturas de Brenand


Luego de todos estos hermosos paseos y reuniones con miembros de Servas Recife, Olinda, Joao Pessoa y aledaños, a quiénes agradezco toda su disposición y hospitalidad, partí al último tramo de mi intercambio, hacia Salvador de Bahía.

3. Salvador de Bahía

A mi llegada a Salvador de Bahía me recibió la Sra Heather Marques en el aeropuerto que fue mi anfitriona 3 días. Ella vive en el sector de Embui. Compartí con Heather y su marido Gabriel lindos momentos y conocí a un amigo de ellos también llamado Gabriel, quien fue mi day host.

Con ellos recorrí los siguientes lugares:

- Iglesia de Nuestro Señor de Bonfim
- Centro histórico del Pelourinho (patrimonio de la humanidad)
- Iglesia y convento de san Francisco, esta toda decorada con oro y azulejos traídos de Portugal del siglo XVlll,
- también fuimos a comunidades populares de Bahía, se llama Fazenda Coutos .
- Mercado modelo, paraíso de la artesanía local.

Lluego fui acompañada por Neuma Dantes, quién fue mi siguiente day host y recorrimos la playa de Barra y llegamos caminando al faro de Barra, lugar histórico de la ciudad. De ahí fuimos a Pelourinho y visitamos:

- Museo de Jorge Amado
- Fiseta de San Jorge en Iglesia
- Tienda donde hizo su video Mickael Jackson
- Tiendas de arte y artesanias bellas

Luego de este lindo paseo por Pelourinho me llevó a casa de Livia Pinheiro , mi anfitriona, quién junto con su mamá Marcia y su hermana Marilia me alojaron y fueron muy encantadoras las 3. Con ellas estuve 3 dias y con la señora Marcia salimos a pasear por Pelourinho nuevamente.




Con este paseo final terminó mi lindo viaje, ya que de aquí me trasladé nuevamente a Rio de Janeiro con Yara Silva, con quién compartimos la tarde y luego de un reparador descanso el 26 de abril regresé a Chile.

Conclusión

Solo me resta decir que fue un viaje maravilloso, conocí personas encantadoras y me mostraron lugares hermosos llenos de historia y cultura. Agradezco infinitamente todo el programa que me hizo Servas Brasil y la coordinación que tuvieron siempre, me sentí muy acompañada y segura con todas las amigas y amigos.

Me cautivaron la vegetación y las playas, los centros históricos y culturales, los jugos de frutas, la variedad de comidas y sabores, las artesanías maravillosas y el reciclaje, su música del noreste de Frevo, bellísima, realmente fueron muchos lugares, muchas emociones.

Y por último este viaje se lo agradezco a Servas Chile y su directiva que me brindó la posibilidad de viajar a conocer mis raíces.

Bendiciones a todos y estaré siempre a su disposición.

Carmen Pardo – Servas Chile

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Viagem ao Uruguai



Cesar e Tere - SP

Em março deste ano, fui a Montevidéu a trabalho, mas estiquei a minha estadia lá para fazer um pouco de turismo. O Cesar foi me encontrar ao final do período de trabalho.
Fizemos contato com Carolina dos Santos Trías, servas de Montevidéu, quem nos ofereceu um ‘day host’, aceito imediatamente. Carol tem 2 filhas - que não tivemos a oportunidade de conhecer -, ela trabalha em “home office” no setor administrativo. Júlio, seu namorado, trabalha no ramo de transportes e dá aula de dança, principalmente tango, nas horas vagas.

Carol e Júlio, nos buscaram no hotel no domingo (11.03.17) de manhã e passamos o dia inteiro juntos. Levaram-nos no seu carro a conhecer Montevidéu. Passeamos pela “Rambla” e Pocitos; as principais praças e avistamos a cidade do alto do “Cerro de Montevidéu”, onde visitamos a “Fortaleza del Cerro”.
Conhecemos também o salão onde Júlio dá aulas de dança e faz “happy hours”. Tem até um forno a lenha onde ele assa pizza que serve em noites de encontros do grupo de dança.
Encerramos com um “asado” – churrasco oferecido por Carol na sua casa e preparado por Júlio.

As fotos mostram um pouco dos nossos bons momentos juntos.

Carol, Júlio e Tere

Carol, Júlio e Cesar

Carol, Júlio, Tere e o simpático cão Dumbo

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

SYLE: Minha experiência maravilhosa em Bergamo, Itália


Por Isabela Campos

Pelo título deste artigo vocês já devem ter uma ideia da experiência que vivi em Bergamo, Itália. Claro que eu pensei que uma experiência SYLE seria incrível, mas confesso que nunca poderia imaginar o que me esperava durante as três semanas, de 17 de março a 07 de abril de 2017. Foi uma mistura de felicidade e agradecimento por esta oportunidade única e maravilhosa. E por causa disso, gostaria de compartilhá-la um pouco com vocês!

1ª semana:
Meu SYLE começou no dia 17 de março de 2017 na casa da família Cremaschi: Roberto, Cecília e Maria. Eles foram anfitriões excelentes, planejaram inúmeras atividades juntos e para mim sozinha, também. Dentre elas, visitei a cidade de Lecco com seu famoso lago, fui a uma escola de italiano para refugiados, onde tive minha primeira aula do idioma, e viajei à Verona para encontrar a sobrinha de Cecília e passar o dia.

Juntos, fomos à Bose, um monastério muito interessante, onde a irmã de Roberto mora; à Torino passar o domingo, quando tivemos uma aula de como fazer um macarrão típico de Bergamo: cansonselli e a um jantar brasileiro. Além disso, partilhamos momentos e refeições, assistimos novelas e programas de TV italianos. O simples fato de estarmos juntos sempre foi um momento especial para mim!

Isabela com a família Cremaschi

2ª semana:
Na segunda semana, fui recebida calorosamente na casa dos Giubertoni: Nunzio e Paola e os filhos Giulia, Cecília e Philippo. Eles também foram anfitriões excelentes e me fizeram sentir em casa. No segundo dia, já estávamos fazendo festa do pijama na sala de estar. Eu passei a maior parte do tempo com Giulia, pois tínhamos o período livre e o restante da família tinha uma rotina bem pesada. Fomos pedalar em Verdellino, comunidade onde eles moram, visitamos Milão, Veneza, Cidade de Bérgamo e Breschia sempre encontrando amigos dela e conhecendo muitas coisas!

Com o restante da família, nós partilhávamos refeições, bate papo antes de dormir e até ajudei Cecília a estudar literatura! Na minha última noite, fomos todos a uma pizzaria e nos acabamos em pizzas! Os Giubertonis me fizeram sentir parte da família, da rotina deles; e serei eternamente grata por essa experiência!

Isabela com a família Giubertoni

3ª semana:
Minha terceira família: os carinhosos Rota: Giancarlo, Anna, Gaia, Mattia e Laura. Tenho certeza que passei meus últimos dias em Bergamo com pessoas calorosas, atenciosas e sempre dispostas a passar algum tempo comigo, mesmo na rotina intensa da semana. A casa dos Rota era muito acolhedora e eles fizeram de tudo para que eu me sentisse confortável, o casal até cedeu o quarto deles para que eu dormisse. Foram realmente muito generosos e atenciosos. Conhecemos o bairro deles em Bergamo, compartilhamos refeições e passamos tempo juntos quando eles chegavam da escola ou do trabalho. Eu até participei de uma aula de coral de Anna em um campo de escoteiros!

Os Rota e os Cremaschi (a primeira família) organizaram um jantar surpresa quando fui à casa dos Cremaschi me despedir. Deliciamos-nos com os cansonselli que eu havia feito na aula de culinária com a Cecília Cremaschi. Foi um momento muito especial para fechar com chave de ouro meu SYLE inesquecível, nessa cidade italiana, que posso agora chamar de casa!

Bons momentos com a família Rota

Também tivemos tivemos uma festa durante a segunda semana que reuniu todos os membros Servas da região, assim como pessoas interessadas e os hóspedes: eu e uma família russa muito querida!

Confraternização da "Família Servas"

Sobre minha experiência aprendendo italiano, não diria que me comunico facilmente e fluentemente, mas posso dizer com orgulho que aprendi muito nesse tempo e fui capaz de me comunicar com todos ao meu redor.

Para concluir este relato, gostaria de dizer que uma experiência como esta é impossível de descrever e que só meu coração sabe as emoções que vivi e o quanto sou e serei eternamente grata aos bergamascos que me fizeram parte de suas famílias. Não menos importante, gostaria de agradecer à Rafaela Rota, coordenadora regional da Lombardia, pelo convite deste SYLE e pela organização de todos os detalhes. E é claro, agradecer ao Servas Brasil por me proporcionar tantas experiências inesquecíveis.

Até nos encontrarmos novamente!

Passeio inesquecível

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Visita ao sul de Minas: gosto de amizade Servas


Dorly Schutz - SC


Olá Pessoal, sou Dorly Schutz e estou no Servas desde agosto de 2009. Nesse período, já tive oportunidade de fazer poucas, mas excelentes visitas a servianos no país e exterior.

Posso garantir que os encontros e visitas dentro do país podem ser muito, muito interessantes. Nossa diversidade cultural é grande e temos anfitriões ansiosos por compartilhar experiências e mostrar sua cidade e região.

Em 19 de maio de 2017, uma sexta feira, cheguei em Extrema, município que faz divisa entre São Paulo e Minas Gerais, pra visitar Edna que eu já conhecia desde o EnSP em 2015.

Apesar do dia chuvoso, Edna levou-me para conhecer todos os cantos da charmosa Extrema. Houve paradas para saborear e comprar os deliciosos quitutes mineiros e conhecer pessoas do lugar. À noite, o amigo Juvenil juntou-se a nós, vindo de Divinópolis, a cerca de 400KM de Extrema. Logo, fomos ver o movimento no centro da cidade, pois havia comemorações do dia santo da padroeira da cidade, Sta Rita de Cássia.

Na manhã de sábado, Edna nos levou montanha acima até o pico da serra onde é possível avistar de um lado, a cidade de Juanópolis, em São Paulo, e do outro lado a cidade de Extrema. A vista é espetacular. Ao retornar ao centro, conhecemos outros pontos de interesse; no final da tarde, pegamos a estrada rumo ao sítio de Aderlice situado na zona rural de Camanducaia.


Vista de Extrema

Edna e Juvenil no mirante em Extrema

Edna, Juvenil e Dorly nos arredores de Extrema

O tempo chuvoso deixou a estrada de terra, curvas e morros em difíceis condições de tráfego. Ficamos ainda mais apreensivos quando escureceu e nos perdemos. Felizmente, graças à perícia da nossa motorista Edna e às orientações dos raros moradores que conheciam o caminho, nós conseguimos chegar, em segurança, à casa de Aderlice que já nos esperava no autêntico estilo Servas.

Ao amanhecer do domingo fui lá fora conferir a beleza do lugar que eu já conhecia por fotos. Em volta de casa tem jardim, plantas diversas, frutíferas, a estufa com cultivo de hortaliças orgânicas e as majestosas araucárias espalhando seus frutos. Por mim eu teria ficado lá fora catando pinhão, mas a chuva me fez entrar. Nesse dia, nossa anfitriã convidou vizinhos e amigos para confraternizar conosco. O almoço vegetariano especial foi preparado por Carlinhos e sua família; todos adoraram.

Quintal da casa de Aderlice

Juvenil, Aderlice (com seu gato Fred) e Edna

Dorly debaixo das araucárias

Galera esperando o almoço vegetariano ... hmmmm

À tarde, falamos do Servas para os convidados que gostaram da filosofia, princípios e possibilidade de troca cultural que a instituição propõe. Possivelmente, em breve teremos novos integrantes nessa região.

Hora do café com bolo para o aniversariante Juvenil

Na segunda feira, a chuva e o frio continuaram. Isso não foi problema porque ficamos dentro de casa no aconchego do fogão à lenha, rodeados pelos gatos de Aderlice e compartilhando boas conversas.

Além disso, era o aniversário de Juvenil continuamos saboreando o bolo de pinhão e outras coisas boas. Juvenil preparou uma deliciosa Caponata pra nós.

Caponata (receita especial de Juvenil)

Fogão à lenha aceso, tudo de bom....

O sol deu o ar da sua graça, na terça-feira, quando saímos para uma caminhada nos arredores. À tarde, fomos para Monte Verde, distrito de Camanducaia, que fica a 1.555m de altidude. Devido a seu clima de montanha, natureza exuberante, produção e comércio de chocolates, geleias entre outras delícias regionais é conhecida como a “Suiça Brasileira” ou seria a “Suiça Mineira”? Os dois passeios foram muito legais.


Amigos Servas à beira do lago

Lixeiras na zona rural de Camanducaia


Descontração junto à natureza

Juvenil em Monte Verde

Quarta feira, dia 24, já era dia de voltar. Minha vontade era ficar mais nesse lugar tão tranquilo e natureza exuberante. Nos despedimos com a promessa de voltar outras vezes. Da minha parte, quero expressar profunda gratidão pela acolhida calorosa de Aderlice que me proporcionou a condição de conhecer essa região através do Servas.

Voltamos para Extrema com Edna, onde Juvenil e eu tomamos o ônibus para SP. Igualmente sou muito grata à Edna pela sua receptividade e presteza em nos mostrar sua cidade e nos levar de carro para o sítio de Aderlice.

Quero aqui registrar o comentário de Juvenil, Aderlice e Edna:

Juvenil: A visita às casas de Edna e Aderlice foi uma oportunidade de fortalecer nossa amizade. Também foi importante discutir questões do Servas Brasil e entender como podemos ajudar mais e melhor o desenvolvimento da nossa organização. É muito diferente e gratificante visitar pessoas que moram em cidades menores e na zona rural. Oxalá consigamos realizar um encontro regional nessa área dando possibilidade a servianos de SP (próximo dali) e MG participarem. Um grande abraço e vamos à luta com alegrias.

Aderlice: Para mim a visita foi mais que especial, uma oportunidade ímpar; fico muito feliz que tenham gostado. Reafirmo que minha casa está à disposição para o encontro regional, ou outros futuros encontros.

Edna: Depois dessa visita, quando tive a oportunidade de rever Dorly, conhecer Juvenil e Aderlice eu não sou mais a mesma. Guardarei pra sempre, em minha memória, esses dias passados juntos. Espero ter mais encontros com vocês e outros amigos Servas.



quinta-feira, 20 de abril de 2017

Cenário Pré-carnavalesco em Recife


Por Isabel Cano - Espanha

Me chamo Isabel Cano. Sou de Barcelona, Espanha e viajei ao Brasil por três semanas aproveitando que meu filho Santi está estudando no Rio de Janeiro.

Aconselhados por uma amiga brasileira, antes de desfrutar do carnaval do Rio, viemos vivenciar, primeiro, o pré carnaval em Recife. Depois de passar dois dias em Porto de Galinhas, fomos recebidos por Luciléa Cisneiro e seu marido em Boa Viagem. Eles nos levaram ao Recife Antigo, já com preparativos para o carnaval; daí chegamos até o Pátio de São Pedro onde desfrutamos de um dos melhores momentos da viagem. Uns cinco ou seis grupos de Maracatu, coordenados por seus maestros, com um coro atrás, encheram o Pátio, com a Igreja ao fundo, interpretando músicas que, para nós eram ritmos novos, muito afro. A sensação foi indescritível.

No dia seguinte, fomos a praia, próxima ao apartamento de Luciléa. Voltamos ao Recife Antigo, também muito bonito de dia, com muitos edifícios restaurados e almoçamos lá com outras duas brasileiras, do Servas Recife, Severina, Socorro, e Franco, um italiano hóspede de uma delas. Após a refeição, demos um pequeno passeio pelo local e encontramos um grupo de passistas interpretando ritmos de frevo e um bloco com boneco gigante. Dalí nossos anfitriões nos acompanharam até Olinda, cidade vizinha de Recife.


Mª do Socorro, Sissi, Santi, Isabel, Cisneiro e Luciléa
Isabel e Santi com dançarinos de frevo no Recife Antigo


Em Olinda, nos hospedamos na casa de Vera Leite e seu marido. Com eles e dois amigos fomos ao Baile Municipal, à noite, um evento muito especial no carnaval pernambucano, com muita gente, a maioria fantasiada e mascarada. Eu fui com um cocar de penas no cabelo e Santi com um chapéu de pirata emprestado por Luciléa. As atrações do baile me deixaram bastante surpreendida. Havia gente de todas as idades, muitas idosos, alguns aparentando mais de 70 anos, todos cantavam as músicas, num cenário espetacular. Eu gostei de ver que não há limite de idade no Brasil para se divertir, como normalmente temos na Europa.

Santi, Isabel, Vera e amigos no Baile do Municipal


No dia seguinte, fomos ver “o Desfile das Virgens de Olinda”, perto da casa de Vera e começando ao meio dia. Um “carnaval de rua”, muito popular, com muita gente desfilando nos trios elétricos.

Depois, fomos visitar o Centro Histórico de Olinda. Muito bonito, com umas igrejas antigas, umas ruas calçadas com pedras, muitas casas coloridas e no alto, uma vista panorâmica que valeu muito a pena.

No outro dia, visitamos um pouco mais o Recife Antigo. Foi um pouco duro por causa do calor, mas procuramos aproveitar o que as energias nos permitiram. Foi interessante visitar um antigo cárcere, agora transformado em um centro cultural, onde as celas são lojas de artesanato. Também algumas igrejas, zonas comerciais e lojas muito simples, vendedores ambulantes, comercializando seus produtos.


Santi e Isabel no Recife Antigo

A noite foi muito especial: Noite dos Tambores Silenciosos, em Olinda. Um colorido impressionante, outra vez os tambores do maracatu, outro momento “top” da viagem. Fomos com Vera e nos encontramos com Luciléa, Severina, Lindinaura e Franco.
Próximo dia fizemos uma excursão de ônibus a Igarassu e Ilha de Itamaracá. Igarassu foi uma experiência tão boa quanto inesperada. Além da igreja de São Cosme e Damião, a mais antiga do Brasil, havia outras tantas, um antigo palacete, conventos... visitamos alguns deles e um, especialmente, foi muito interessante.

Na ilha, fomos diretamente ao Forte de Orange, construído originalmente pelos holandeses e depois ampliado pelos portugueses. Depois da visita fomos comer em um bar restaurante na praia, muito simples, longe da zona turística. Tomamos banho ali, com tranquilidade, até a hora do ônibus.
Na última noite, passamos na casa de Luciléa e aproveitamos a manhã seguinte para tomar banho na praia de Boa Viagem pela última vez. Cisneiro, seu marido, nos acompanhou, muito amavelmente, ao aeroporto e assim, terminamos nossa inesquecível estadia em Pernambuco nas prévias do carnaval.

Agradecemos muito a todos os Servas que conhecemos, a tudo de bom que fizeram durante nossa permanência nessa região tão especial do Brasil.